Notícia - Ouro Safra
Goiaba pode ser alternativa de sucesso.
A versatilidade da fruta, que pode ser utilizada in natura, industrializada e até em cosméticos tem motivado produtores e empresas a apostarem no plantio, comercialização e industrialização, que contribui para empregos e renda no campo. O Brasil é líder mundial em produção de goiaba vermelha. Já a branca é mais produzida na Índia. São Paulo, Pernambuco e Rio de Janeiro concentram 80% do total. Estados como Goiás estão tentando fortalecer a atividade e tirar as goiabeiras, encontradas apenas em quintais, para a produção comercial.

A dificuldade dos produtores está em se manter apenas com a atividade, funcionando como complemento de renda com culturas como milho, feijão, soja e sorgo. Uma alternativa pode ser a produção na entressafra para valorizar o produto.

O engenheiro agrônomo, Fernando Couto de Araújo explica que as cultivares comerciais da goiaba são divididas nos grupos, de polpa branca ou avermelhada, sendo destinadas para a indústria ou a mesa, ou seja, consumo in natura. “As mais cultivadas são de cor vermelha, pois são mais atrativas e atendem à preferência da indústria. Como exemplo de cultivares mais plantadas no Brasil podemos citar Paluma, Século XXI, IAC 4 e Ogawa 1” informa. Ele explica que para o plantio da goiaba, primeiramente deve ser feita uma correta aplicação de calcário na área para a correção da acidez e toxidez de alumínio do solo e para fornecimento de alguns nutrientes, caso necessário de acordo com a análise de solo.

Para um bom cultivo é recomendada a realização de adubação orgânica e química, por meio da aplicação de composto orgânico e de fertilizantes à base de fósforo, potássio e micronutrientes, aplicados na cova de plantio. Após o plantio, o agrônomo afirma que a orientação é adotar uma adubação de cobertura de forma parcelada, para fornecimento dos nutrientes necessários para o desenvolvimento e produção da cultura. “Entre as técnicas de manejo, atenção especial deve ser dada na escolha de uma cultivar adequada para a região e que atenda a demanda do mercado consumidor local.

O espaçamento também deve ser bem planejado de acordo com as características do cultivar, da propriedade e do nível de mecanização adotado, visto que após a implantação da lavoura não é possível alterá-lo. Além disso, o produtor deve adotar as práticas corretas de poda e de manejo de pragas, doenças e plantas daninhas, visando proporcionar as condições ideais para o melhor desenvolvimento e produtividade da lavoura, com boa qualidade dos frutos colhidos.

As tecnologias aplicadas à fruta, em lavouras de alto nível são a utilização de técnicas como a irrigação, com o correto manejo racional do uso da água, que proporciona ganhos de produtividade em diferentes épocas do ano. “Entre os sistemas disponíveis, a irrigação localizada, como por gotejamento, é a mais indicada para o cultivo da goiaba por requerer menor volume de água e ainda possibilitar a aplicação de fertilizantes através da irrigação, ou seja, da técnica de fertirrigação. Goiabeiras sadias provenientes de mudas de enxertia podem entrar em produção a partir do segundo ano de cultivo” orienta.
Fonte: agrolink

Ouro Safra® 2012. Todos direitos reservados